sábado, 28 de julho de 2012


 Por que os relacionamentos seriam uma exceção ao restante das regras da vida? Para funcionar propriamente e fornecer a satisfação prometida e esperada, os relacionamentos precisam de atenção constante e manutenção dedicada. Quanto mais tempo duram, mais difícil torna-se manter a atenção e o serviço de manutenção necessário ao dia-a-dia. Consumidores acostumados com produtos de consumo que envelhecem com rapidez e são prontamente substituídos acharão incômodo, além de um desperdício de tempo, preocupar-se com uma coisa dessas, e se apesar disso resolverem prosseguir, carecerão de hábitos e habilidades necessários. Os casamentos, escreve Phil Hogan, sempre tiveram seus maus bocados e seus momentos críticos, curtos ou longos – a diferença agora ‘é a rapidez com que nos aborrecem. Lá se vão os tempos da crise dos sete anos. Segundo as últimas descobertas, entre oito meses e dois anos tornou-se o tempo ideal para puxar a tomada do matrimônio. E ele explica: 'É difícil ficar chocado com essas notícias. Não só isso parece perfeitamente de acordo com as modernas noções de compromisso e paciência, mas também diz alguma coisa sobre nossa ideia do que seja ser paciente.(Zigmunt Bauman)

Queremos relacionamentos descartáveis pra não termos que perder tempo nem em lavar a louça depois. Não queremos amadurecer e crescer com as pessoas. Se falham conosco apenas dizemos a ela que ela não serve pra nós, que queremos uma pessoa "pronta" já, discursamos o quanto as pessoas são substituíveis - como se a ela coubesse apenas cumprir uma função. Não perdemos tempo conversando, remendando, costurando e tecendo o relacionamento. Apenas jogamos os erros pela janela e a mandamos ir pegá-los e ir embora, pela janela, claro. Não perdemos tempo orando por ela e com ela. Perdemos menos tempo ainda olhando no espelho e tentando descobrir em que precisamos melhorar e consequentemente não oramos pra que o Pai nos mostre essas coisas e nos ajude nisso. Apenas procuramos pessoas novas, as trazemos para as nossas vidas e daí é só questão de tempo, quem vai pisar na bola primeiro? E então dizemos a ela aquelas velhas frases de que "você não serve pra mim..", "eu mereço coisa melhor.." ou, melhor ainda! Culpamos o destino! Dizemos que não era mesmo pra sermos amigos, namorados, marido e mulher ou o que for... Apagamos o nome dela da agenda, bloqueamos nas redes sociais.. e começamos o ciclo de novo.

Pai, afasta de nós ESTE cálice.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu blah blah blah aqui: