domingo, 27 de novembro de 2011

o telefone vai tocar só uma vez


Queria sumir as vezes para não assumir meus erros e reconhecer que meus desejos ruins vencem as vezes.. é, eles me vencem, e o que me resta fazer é pedir desculpas pelas minhas tolices. Certa vez alguém me disse que perdão se dá de graça, mesmo que não se mereça (mesmo que nunca tenha pedido de fato, mesmo que algumas situações tenham sido colocada como equivalências de erros, situações tolas que nem se aproximam da dor que causara e ainda causa). Perdoar é reflexo de amabilidade implícita no ser. Quem quer paz, precisa dar paz. Quem quer amor, precisa perdoar. Então vou cantar a canção do perdão, do arrepender e do amor. Eu vou expor minhas feridas abertas pra nunca mais essa dor me ferir. Vou me levantar desse vale de lágrimas sem orgulho ou razão e vou perdoar quem me machucou. Vou sair de casa pra me aventurar, pra encontrar o caminho que vai me levar rumo liberdade, poder ser quem eu sou. Vou viajar pra longe pra estar perto. Pelo amor. Amém.

(letra de canção do perdão e a diferença, por Danni Distler, adaptadas para minha oração)

Um comentário:

Deixe seu blah blah blah aqui: