sexta-feira, 19 de agosto de 2011

quanto tempo não venho aqui, que não te olho direito, que não reparo em seus traços. faz tempo que não nos falamos e quase posso dizer que já não te conheço tão bem. sinto sua falta e espero voltar a te ver sem dor, sem esse pesar no respirar, sem vertigem no caminhar e sem manchas de sangue na alma. sinto falta, e não sou só eu, do seu riso costurado na cara e aquela gargalhada que dá depois de falar o que deu na telha, sem filtros. sinto falta das suas palavras amáveis. do seu olhar sem estar vago e do seu afago não contido. cadê aquela você que gosta de ver a alma das pessoas e que agora esconde a sua? sinto falta de te ver dormir tranquila sem estar encharcada de lágrimas. sou o seu segundo amor e te espero de volta. Eu e Deus.

-carta encontrada dentro de uma garrafa na beira do mar do meu caos.

Um comentário:

Deixe seu blah blah blah aqui: