domingo, 28 de agosto de 2011

"E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará." João 8:32


     Hoje tudo é líquido, tudo é moldável, tudo pode e 'não tem nada a ver', tudo é relativo. Cada um tem a sua verdade, é o que acredita. O que mais tem é evangélico-supersticioso-umbandista-espírita-católico-budista-islamita-muçulmano-ateu-agnóstico-não-praticante.
     A tendência é ser boa praça, é concordar com todo mundo pra que todo mundo te siga no twitter e te dê RT, pra que todo mundo continue te chamando pr'aquelas festas e te pagando bebidas. Só que isso só funciona na superficialidade. 
     Se analisarmos a fundo, concordar com tudo é ser hipócrita -  mais que o normal - é excludente. Não dá pra crer em uma e em outra, o certo é 'ou'. O que dá é pra ver os pontos em comuns, sem deixar passar que os pontos divergentes. Assim sendo, a moda então é ser tudo, mas ao mesmo tempo nada.
     
     Estamos saturados de informação, informação de todo tipo e em tempo real. Argumentos não nos convencem e todos tem um. Estamos carentes de abraços, de sorrisos, de afagos, de zelo, de compromisso, de relacionamento, de ensinar a pescar ao invés de dar o peixe, de humildade, de 'faça o que eu mando e não o que faço'. Estamos carentes de amor.
     Nesse mundo farto de teses os abraços valem mais que palavras.

Um comentário:

  1. Sim. e "não se pode servir a dois senhores". Ou vai ou quá. Ou sim ou não. Por isso que o "o que passar disso vem do mau". beijos

    ResponderExcluir

Deixe seu blah blah blah aqui: