segunda-feira, 26 de julho de 2010


trago a  mão toda marcada e arranhada, de uma dorzinha fina.
que tinha cheiro de vida, nada mais importava, um cheiro que compensa tudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu blah blah blah aqui: