quinta-feira, 1 de abril de 2010

bloínques


tudo foi rápido, ela parou na frente do espelho.. e não preciso dizer que foi mais fácil do que parecia.
e no espelho estava uma pessoa desconhecida. será que ao voltar a reconheceria?
já não era a mesma de antes, e não podemos concluir que foi apenas o corte de cabelo que fez isso..
#ela sussurrava para si mesma: 'mas você acha que eu não poso ver...'
#ela gritava para todos que estavam pra fora da porta que ela havia trancado: 'mas você acha que eu não posso ver...'
ninguém entendia.. então passemos para um outro ângulo de visão que pode nos ser mais esclarecedor:

'você acha que eu não posso ver que você está longe de mim por minha culpa? e se eu pudesse voltar o tempo eu nem saberia como corrigir. por minha culpa você se foi.. como um porshe com motores falhos se vai para a retífica.. e eu, fico aqui, como um fiat 147 que nem motores tem a te esperar.. aliás, um fiat147, e ainda por cima sem motor, iria onde? mas agora me diga.. o que eu faço com um porshe que não quer sair da garagem? o que eu posso fazer se ele ainda não voltou? sabe se lá o porque? e o que fazer enquanto espero? jogo xadrez? aprendo tocar violão? estudo geometria analítica?

-então eu berro pra você voltar logo, pois tem sido muito difícil.. tem sido tempos muito difíceis aqui sem ti.'

2 comentários:

  1. Adorei o texto, boa sorte no Bloinques amor :)
    xxx

    ResponderExcluir
  2. tô com blog agora também. se já nao bastasse todos os meios de ser chato. rs

    ResponderExcluir

Deixe seu blah blah blah aqui: