sábado, 23 de janeiro de 2010

sob os nossos pés

e de repente, não mais que de repente todas as trufas de chocolate amargo apodreceram dentro de mim. todas suas insistências em mim perderam o sentido e o tato. todo o cheiro da sua blusa em mim já não confortava. que seja tudo uma mentira. uma grande, gigantesca e imensa mentira. que todo o nexo que se faz em minha mente se perca. que essa nuvem passe. e de repente, não mais que de repente, quando procurarmos o chão, que ele esteja abaixo de nossos pés.

pra que não percas o firmamento e eu não te percas.

Um comentário:

Deixe seu blah blah blah aqui: