domingo, 24 de janeiro de 2010

batalha

me cortei na lataria enferrujada de minha armadura; é, minha espada não estava tão afiada - e ainda estava tão pesada; e minhas flechas todas tortas. o sangue que escorria nas frontes, por via das vezes cegavam a visão. já estava sentada no chão, esperando pelo desfeche. quando ela viria e me tomaria em seus braços e me levaria pro além mar ao leste. eu esperava pelo último golpe. aquele certeiro. que me fizesse chegar ao ápice da dor e consequentemente ao fim dela. isso tudo ao mesmo tempo, como seria possivel?
mas isso era até sentir aquela brisa. suave. que me envolveu de tal forma que me ergueu, me tirou os pés do chão; entrou em meus ossos e uniu suas fissuras; fechou as feridas e deixou a lembrança do momento da cura em uma cicatriz, pra que eu nunca esquecesse. me deu armas novas e uma armadura de meu tamanho. me disse palavras doces em hinos de guerra. me ensinou a lutar e lutou ao meu lado.
é, quem ia dar o golpe certeiro fugiu de medo. só porque quando estou fraco é que sou forte. pois é por intermédio dEle que as folhas caem e as árvores se erguem.


sim, estou confortável em minha própria pele.

3 comentários:

  1. Realmente estar confortável é muito bom, sabendo que em nossas fraqueza Ele nos sustenta com braços fortes.
    Deborah seu blog é maneiro e gostoso de ler.
    Sidney

    ResponderExcluir
  2. very crazy your blog... i like it
    i hope that you will write here every day!
    you have to write more and more..
    good words...CRAZY!!!

    ResponderExcluir
  3. muito bom o blog. ainda não li todos os posts, mas vejo a simplicidade e genialidade com que escreve e, isso o faz ser lindo!

    sucesso (:

    ResponderExcluir

Deixe seu blah blah blah aqui: